Antiga Fábrica António José de Oliveira e Filhos - Centro Avançado de Formação Pós-graduada

Geral, Visitar, Zona de Couros
Jos__oliveira_e_filhos_3_1_510_300
Antiga Fábrica António José de Oliveira e Filhos - Centro Avançado de Formação Pós-graduada
Jos__oliveira_e_filhos_3_1_139_90
Jos__oliveira_e_filhos__2__1_510_300
Jos__oliveira_e_filhos__2__1_510_300
Jos__oliveira_e_filhos_5__2__1_510_300
Jos__oliveira_e_filhos_5__2__1_510_300
Jos__oliveira_e_filhos_4_1_510_300
Jos__oliveira_e_filhos_4_1_510_300
Jos__oliveira_e_filhos_6_1_510_300
Jos__oliveira_e_filhos_6_1_510_300
Jos__oliveira_e_filhos_2_1_510_300
Jos__oliveira_e_filhos_2_1_510_300
Inserir fotoS
12021 visualizações
Este edifício, que na sua origem apresentava uma estrutura ligada à industria de couros viu, na segunda metade do século XX, a sua funcionalidade ser transferida para a indústria têxtil.
A sua arquitectura espelha a transformação industrial operada nesta zona da cidade, onde a presença da chaminé da caldeira contrasta com as construções em ripado de madeira ou com os tanques que marcam o percurso subterrâneo do rio.
A antiga manufactura de curtumes que durante séculos mantivera práticas empíricas e arcaicas enfrentou desde a primeira metade do século, obrigações legais de salubridade e exigências de modernização tecnológica, o que levou a que alguns dos industriais de Couros transferissem a sua actividade para a nova industria têxtil, mais limpa e cujo retorno do investimento era mais imediato e a mão-de-obra mais barata.
Na indústria dos couros, a especialização exigida aos trabalhadores, nomeadamente a força física que era necessária para a execução das tarefas e a perícia no manuseamento das ferramentas e das peles, tornava-os um grupo respeitado na cidade.
A formação destes homens iniciava-se na adolescência acompanhando, como serventes as actividades dos curtidores. Seguia-se o estatuto de aprendiz de curtidor que durava cerca de 4 anos. A passagem a oficial acontecia no momento em que o operário conseguia sozinho deitar a primeira pele sobre a tábua, limpar o pêlo e o carnaz.
O ofício de surrador por sua vez era bastante mais especializado motivo pelo qual poucos lhe conseguiam aceder.
Quando viam as suas competências reconhecidas pelos companheiros, obtinham a patente do ofício tendo de pagar uma jantarada aos outros trabalhadores e ao patrão.
De forma a manter a coesão e identidade da classe foi sempre preferida a admissão de filhos e familiares de operários na indústria de curtumes.
Em diferentes momentos da história política vimaranense vemos “os artistas da Rua de Couros” a tomaram partido de uma das facções, por vezes chegando a defender violentamente as suas convicções. Protagonizaram greves, reivindicaram melhores condições de trabalho, conseguiram aumentos salariais, constituindo-se como uma classe operária coesa, conservadora e aguerrida.
 
 
 

Outras Sugestões

Próximos

Acesso a ProfissionaisRegistar-se
 
Câmara Municipal de Guimarães - Turismo spacer.pngTripadvisor
Largo Cónego José Maria Gomes, 4800 - 419 Guimarães | tel. 351 253 421 221 / 233 | fax. 351 253 515 134 | e-mail. info@guimaraesturismo.com spacer.pngOpiniões sobre Guimarães
spacer.png